Devaneios de uma tarde de terça-feira chuvosa

Eu recebo a sua mensagem e fico olhando…
Aquela mensagem dizendo: “Obrigado querida professora”.
E então essa confusão na minha mente se torna engraçada, por vezes divertida, mas quase sempre incômoda.
Sim, incômoda.
Afinal, porque você tinha que aparecer agora?!
Talvez meia década atrás… Ou em outra vida… Mas, agora?
Todos torcem, vibram, xingam… Praticamente um jogo em pleno Maracanã.
Prometeram-me até uma “OLA” no dia da final do campeonato!
Todos torcem.
Uns contra, outros a favor, mas todos torcem.
Histórias e filosofias de vida, opiniões e idéias malucas que talvez até funcionem, mas só na imaginação, afinal nem sob efeito de vodka com energético eu teria coragem de fazer.

Eu recebo teu email… E fico olhando…
Por que tanta preocupação? Por que tanta atenção? Por que ser tão carinhoso desta forma?
Eu não preciso disso. Queria não precisar. Não de você.
Por que de você?
Perguntar-me isso é o mesmo que perguntar por que as pessoas morrem.
Não tem explicação. Simplesmente acontece.
Não que tenha acontecido (ainda), mas o tempo, que é o senhor da verdade e da razão, é também o maldito e estúpido tempo que cria intimidades e afeto pelas pessoas que convivemos!

Eu recebo tua ligação… E fico ouvindo…

– Mas de novo?! Por que comigo? E DE NOVO?!
– Perguntas sem resposta, sua tola. Só você fica se martirizando com essa história, se cobrando, se sentindo a mais ridícula, a mais suja, a mais repugnante dos seres.
TODOS temos defeitos, TODOS cometemos deslizes, TODOS já fizemos algo de errado.
– Mas insistir no erro é burrice!!!
– Ou amor
– Amor é para os fracos!
– Sua fraca!
– Não!
– Sim!
– Ainda não!
– Ainda?! Rá!! Já começas a admitir que é questão de tempo.
– Questão de tempo pra ver que é ilusão. No final é sempre ilusão.
– Você é quem gosta disso, o que quer que eu faça?!
– Nada. “Apenas me deixe só. Isso passa. Amanhã é outro dia, não é?!” *

* A via lácteaLegião Urbana

_________________________________________________________________

“ E talvez não seja assim tão fácil!
Talvez assim seja melhor.
Talvez cada um reme pr’um lado.
Mas os mares que te cercam talvez sejam iguais aos meus…
E a gente segue em frente.”

Segue em frente – Sandy & Júnior

Anúncios

One Response to Devaneios de uma tarde de terça-feira chuvosa

  1. Rodrigo Sampaio disse:

    Ok, alguém andou me dizendo que o medo é o que nos impede de viver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: